#mensagens diversificadas |md|: nacional

Hot

Pesquisar

Mostrando postagens com marcador nacional. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador nacional. Mostrar todas as postagens

08/07/2018

você sabia da História dos domínios de Internet: Conheça a origem, o desenvolvimento e o lucrativo mercado por trás dos endereços da Internet

11:39 0

...    A História dos domínios de Internet     

 A História dos domínios de Internet

Conheça a origem, o desenvolvimento e o lucrativo mercado por trás dos endereços da Internet





Qualquer usuário da Internet está acostumado com a ideia de digitar um endereço na barra do navegador e, assim, ser levado até um site específico. 

É um princípio básico da navegação online

Mas você sabia que nem sempre foi tão fácil? 

A ideia de atribuir um nome, ou seja, um domínio
para identificar um website
é um mecanismo criado alguns anos após o início da Internet.

Hoje, os domínios são importantes para a identidade de marcas e organizações e movimentam um mercado milionário

Confira, a seguir, um breve histórico desse universo e as curiosidades que envolvem o tema.





Um dos endereços mais acessados do mundo (Foto: Melissa Cruz/TechTudo)


Origens

A Arpanet, precursora da Internet
surgiu na década de 1960
foi a partir dela que, 
aos poucos, uma rede mundial de computadores 
foi se desenvolvendo. 
Nos anos 1980, a Internet 
já utilizava o protocolo TCP/IP 
para o envio e recebimento de dados
que é a norma até hoje.

Porém, os 
números divididos por pontos 
que direcionavam até os sites 
não eram algo muito simples para o usuário comum. 
É aí que entra o 
Sistema de Nomes de Domínios (DNS, na sigla 
em inglês), 
o recurso criado para traduzir 
os endereços IP 
para nomes de domínios
muito mais 
coerentes e fáceis de lembrar.

Em 1984, foram estabelecidos os 
sete primeiros domínios de 
primeiro nível (TLDs), 
que são as terminações dos endereços web
como 
“.com”, 
“.net” 
ou 
“.org”. 

O primeiro domínio registrado foi o
 symbolics.com, 
em 1985, 
por uma fabricante de computadores 
em Massachusetts, nos Estados Unidos.


Nessa época, qualquer um poderia registrar um domínio gratuitamente

Só a partir de 1995 esse procedimento se tornou pago. 

A empresa de consultoria tecnológica Network Solutions foi a primeira com a habilidade cobrar pelos registros.



ICANN, órgão responsável por regular os domínios com nome na Internet  (Foto: Divulgação/ICANN) 


Entre os 100 primeiros domínios da História, estão nomes conhecidos do mundo da tecnologia
como 
Xerox.com, 
HP.com, 
Siemens.com, 
Adobe.com 

Apple.com 
— todos registrados de 1985 a 1987. 

A popularização e comercialização da Internet
porém, só viria na década seguinte.

O sistema de domínios 
era controlado pelo governo americano até 1998, 
quando o Departamento de Comércio dos EUA 
decidiu privatizar o DNS

O objetivo era aumentar a competitividade no mercado e impulsionar a participação internacional

No entanto, houve muitas críticas quanto ao regulamento, que foram expressadas em um documento público e resultaram na criação da 
Corporação da Internet para Nomes e Números Atribuídos (ICANN), 
uma entidade sem fins lucrativos 
responsável pela gestão global dos endereços de 
IP e dos domínios.

Regulamentações

Com o crescimento da Internet 
e suas infinitas oportunidades, 
surgiam também problemas. 

Um deles era o registro de domínios enganosos. 

Para combater a criação abusiva de URLs 
que se passam por marcas e pessoas 
usando nomes similares 
ou se aproveitando de erros de digitação
os Estados Unidos aprovaram, em 1999, 
a Lei de Proteção ao Consumidor Anticybersquatting.


Outra questão eram os domínios falsos que encaminhavam usuários para sites pornográficos. 

Endereços atrativos inclusive 
para o público infantil, 
como 
teletubbies.com, 
foram usados assim. 
Visando coibir isso, em 2003,
foi aprovada a 
Lei de Verdade 
em 
Nomes de Domínios, 
uma norma que proíbe a prática. 
Já em 2005, os EUA apresentaram o 
"US Principles on the Internet DNS", 
um documento oficial com diretrizes 
para assegurar 
segurança e estabilidade 
ao sistema de domínios.

No Brasil
o registro de domínios 
esbarra em leis de 
propriedade intelectual 

direito do consumidor, 
mas não temos legislação concreta sobre o tema. 
Projetos de lei com essa finalidade tramitam no Congresso Nacional e no Senado desde pelo menos 2003, mas nada foi adiante. 
O que existe no país 
é a atribuição da responsabilidade 
pelos registros ao 
Núcleo de Informação e Coordenação do 
Ponto BR (NIC.br), 
por meio do Registro.br
A entidade civil sem fins lucrativos implementa as decisões e os projetos do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), que é o 
responsável por coordenar e integrar as iniciativas e serviços da Internet nacionais.

Expansão dos TLDs

Em 2014, o ICANN 
disponibilizou mais de 130 novos domínios de primeiro nível, aumentando exponencialmente as possibilidades para novos websites
São terminações com 
nomes de locais, 
objetos, 
ações, 
marcas, 
comidas, 
esportes, 
entre outros, como 
.vote”, 
.music” 
ou 
.apple”. 

O total de TLDs disponíveis em 2017 ultrapassava 1,5 mil. No início deste ano, o NIC.br anunciou a oferta de 56 opções de categorias relacionadas a 
cidades brasileiras, como 
.rio.br”, 
.sampa.br” 
ou 
.floripa.br”.



Centenas de domínios de primeiro nível surgiram nos últimos anos (Foto: Reprodução/Web Drive)


O TLD com mais endereços registrados é o 
“.com”, 
disparado à frente do ranking. 

Em seguida, estão, 
“.cn”, 
“.tk” 

“.de”, 
referentes, respectivamente, 
à China, 
ao arquipélago de Tokelau 
e à 
Alemanha, 
e o 
“.net”. 

Com frequência, domínios de primeiro de nível de países são apropriados para outros usos. 
Por exemplo, o “.tv” 
foi criado para o Tuvalu, 
uma estado da Polinésia, 
mas é muito utilizado pela indústria televisiva, e o 
“.im”, que se refere à Ilha de Man, 
uma nação britânica, 
costuma ser empregado por 
serviços de mensagens instantâneas.

Grandes negociações

O surgimento dos domínios deu origem a um mercado milionário, em que empreendedores compram endereços aos montes para vendê-los por preços mais altos. É como uma especulação imobiliária virtual: determinados domínios, em especial nomes simples e óbvios, são extremamente lucrativos para quem sai na frente e consegue registrá-los. 
Afinal, 
um domínio adequado 
pode ser muito importante 
para a 
visibilidade 
e a 
identidade de um negócio

Durante um dia de 2012, Mike Mann, um desses especuladores, comprou quase 15 mil domínios.

O endereço mais caro de todos os tempos é o lasvegas.com
negociado por US$ 90 milhões em 2005. 
Outros exemplos de grandes vendas 
no ramo incluem o 
vacationrentals.com, 
comprado por US$ 35 milhões por um empresário do turismo, em 2007, 
e o 
sex.com, 
que movimentou US$ 13 milhões em 2010 depois de uma longa e complexa disputa judicial.

Conseguir um bom domínio hoje é de fato bastante difícil, principalmente entre os escassos .com”. 
Segundo um estudo da 
startup croata WhoAPI, desde 2013, 
todas as combinações possíveis 
com quatro letras estão esgotadas
De 
aaaa.com 

zzzz.com, 
as 
456.976 possibilidades 
já foram 
registradas.





fonte: techtudo
..
            Пост! 
o ooOAdicione sua URL no Google, e apareça nas buscas

Read More

26/11/2016

Funeral de Fidel Castro vai durar nove dias; veja como será a cerimônia

16:43 0
 

Funeral de Fidel Castro vai durar nove dias; veja como será a cerimônia


Corpo será cremado e cinzas serão expostas em praça de Havana.
Será realizada uma peregrinação das cinzas por 13 províncias da ilha.


Fidel Castro morreu na madrugada deste sábado, aos 90 anos (Foto: Antono Levi/AFP)









Cuba fará luto de nove dias para se despedir de Fidel Castro. As cinzas do líder da Revolução Cubana percorrerão a ilha em uma carreata, antes de chegar ao seu destino final, o maior cemitério de Santiago de Cuba, em 4 de dezembro.
O governo de seu irmão, Raúl, nomeou uma comissão especial para organizar os funerais. Fidel faleceu na sexta-feira às 22h29 locais (01h29 de Brasília) e seu corpo será cremado neste sábado em um ato privado.
As cinzas ficarão expostas na segunda e na terça-feira no memorial José Martí, na Praça da Revolução, em Havana, onde a população poderá prestar sua homenagem, segundo um comunicado oficial.
Na mesma terça-feira, dia 29, às 19h locais (22h de Brasília), Havana despedirá o histórico dirigente com um ato multitudinário na Praça da Revolução, coração político de Cuba, onde Fidel fez muito de seus famosos e quilométricos discursos.
'Peregrinação das cinzas'
No dia seguinte, começará uma peregrinação com as cinzas de quatro dias, entre 30 de novembro e 3 de dezembro, que percorrerá 13 das 15 províncias da ilha.
Os restos mortais do líder viajarão de estrada no sentido contrário ao da "Caravana da Liberdade", a mesma que levou um Fidel triunfante de Santiago de Cuba até Havana em 1959, quando depôs a ditadura de Fulgencio Batista.
Será um trajeto de 1.000 km até Santiago de Cuba, onde está previsto um "ato maciço" na praça Antonio Maceo. O sepultamento ocorrerá no dia 4 de dezembro às 07h locais (10h de Brasília).











Luto nacional
O Conselho de Estado, órgão máximo do governo, decretou nove dias de luto nacional a partir deste sábado (26) até 4 de dezembro, período no qual "cessarão as atividades e espetáculos públicos" e tremulará a bandeira nacional a meio mastro.
"A rádio e a televisão manterão uma programação informativa, patriótica e histórica", segundo a fonte.
A comissão encarregada dos funerais anunciou, ainda, ter adiado uma revista militar prevista para 2 de dezembro. O ato pelo 60º aniversário de desembarque de Fidel no iate Granma, de onde lançou a campanha contra Fulgencio Batista, será realizado em 2 de janeiro de 2017.
Figura controversa
Visto como um grande líder revolucionário por uns, e como ditador implacável por outros, Fidel foi saindo de cena progressivamente ao longo da última década, morando em lugar não divulgado e fazendo aparições esporádicas nos últimos anos.
As últimas imagens de Fidel Castro são do dia 15, quando recebeu em sua residência o presidente do Vietnã, Tran Dai Quang. Antes, ele foi visto em um ato público foi no dia 13 de agosto, na comemoração de seu 90º aniversário. A festa reuniu mais de 100 mil pessoas.
Na época, Fidel apresentou um semblante frágil, vestido com um moletom branco e acompanhado pelo seu irmão Raúl e o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro.











Despedida

Em abril, durante o XVII Congresso do Partido Comunista de Cuba, Fidel reapareceu e fez um discurso que soou como uma despedida, onde reafirmou a força das ideias dos comunistas.
"A hora de todo mundo vai chegar, mas ficarão as ideias dos comunistas cubanos, como prova de que neste planeta se trabalha com fervor e dignidade, é possível produzir os bens materiais e culturais que os seres humanos necessitam, e devemos lutar sem descanso para isso", afirmou Fidel Castro na ocasião.
Desde que ficou doente, em julho de 2006, e cedeu o poder ao seu irmão Raúl Castro, o líder cubano se dedicou a escrever artigos, assim como livros sobre sua luta na Sierra Maestra e a receber personalidades internacionais em sua residência, no oeste de Havana.
Doença e saída do poder
Na noite de 31 de julho de 2006, Fidel Castro surpreendeu Cuba e o mundo com o anúncio de que cedia o poder ao irmão Raúl, em caráter provisório, depois de sofrer hemorragias. Foi a primeira vez que saiu do poder.
Sem revelar qual doença o afetava, Fidel admitiu que esteve à beira da morte. Perdeu quase 20 quilos nos primeiros 34 dias de crise, passou por várias cirurgias e dependeu por muitos meses de cateteres.
Em dezembro de 2007, o comandante cubano já havia expressado em uma mensagem escrita que não estava aferrado ao poder, nem obstruiria a passagem das novas gerações, mas em janeiro foi eleito deputado e ficou tecnicamente habilitado para uma reeleição – o que não ocorreu.
Desde março de 2007, já afastado do cenário público, sendo visto apenas em vídeos e fotos, Fidel Castro se dedicava a escrever artigos para a imprensa sob o título de "Reflexões do Comandante-em-Chefe".
Fidel deixou o poder definitivamente em fevereiro de 2008. Em um texto publicado no jornal estatal “Granma”, ele anunciou sua renúncia.
Trajetória
Fidel nasceu em 13 de agosto de 1926, na província de Holguín, sul de Cuba, e foi batizado durante a infância de Fidel Hipólito. Sua mãe trabalhava para a mulher de seu pai, o bem sucedido latifundiário espanhol Ángel Castro.
Apenas quando Fidel era adolescente seu pai se separou da primeira mulher e assumiu a família com a mãe de Fidel, Lina Ruz Gonzalez, com quem teve outros cinco filhos. Nesta época, Fidel foi assumido oficialmente pelo pai e recebeu o nome de Fidel Alejandro Castro Ruz.
Apesar de não ter sido registrado pelo pai na infância, Fidel cresceu estudando em escolas particulares e em meio a um ambiente de riqueza bastante diferente da pobreza do povo cubano.
Bastante inteligente, o jovem era mais interessado nos esportes do que nos estudos. Mesmo assim, o líder cubano iniciou seus estudos na Universidade de Havana em 1945, onde conheceu o nacionalismo político cubano, o anti-imperalismo e o socialismo, e se formou em direito em 1950.
Em 1948, Fidel viajou para a República Dominicana em uma expedição para tentar derrubar o ditador Rafael Trujillo, que foi fracassada.
Ao voltar para a faculdade, ele se juntou ao Partido Ortodoxo, fundado para acabar com a corrupção no país.
Casamentos
No mesmo ano, Fidel se casou com Mirta Diaz Balart, de uma rica família cubana. Eles tiveram apenas um filho, Fidelito. O casamento com Mirta acabou em 1955. Durante a união, ele teve um relacionamento com Naty Revuelta, com quem teve uma filha, Alina Fernández-Revuelta. Em 1993, ela fugiu da ilha se fazendo passar por uma turista espanhola. Alina pediu asilo nos Estados Unidos e passou a fazer fortes críticas a seu pai.
Com sua segunda mulher, Dalia Soto del Valle, Fidel teve outros cinco filhos homens cujos nomes começam com a letra "A": Alexis, Alexander, Alejandro, Antonio e Ángel.
Além da filha Alina, uma das irmãs de Fidel, Juanita Castro, também se mudou para os EUA, no início da década de 1960.
Revolução
Durante o casamento com Mirta Diaz, Fidel teve contato com as famílias ricas de Cuba, e se candidatou a um posto no parlamento. Entretanto, o golpe do general Fulgêncio Batista derrubou o governo da época e cancelou as eleições.
Junto com outros membros do Partido Ortodoxo, Fidel organizou uma insurreição. Em 26 de julho de 1953, cerca de 150 pessoas atacaram o quartel de Moncada, em Santiago de Cuba, em uma tentativa de derrubar Batista. O ataque falhou e Fidel foi capturado. Após julgamento, ele foi condenado a 15 anos de prisão. Entretanto, o incidente o tornou famoso no país.
Em 1955, Fidel foi anistiado, e fundou o movimento 26 de Julho, de oposição ao governo. Nessa época, ele se encontrou pela primeira vez com o revolucionário Ernesto ‘Che’ Guevara e se exilou no México.
Fidel com Che Guevara, em foto de 1960 (Foto: AP Foto/Prensa Latina via AP Images)








Em 1957, junto com Guevara e mais 79 expedicionários, chegou a Cuba a bordo de um navio e tentou derrubar o presidente, mas foi surpreendido pelo Exército e derrotado. Fidel, seu irmão Raúl e Che conseguiram escapar e se refugiaram na Sierra Maestra, onde travaram combates com o governo.
Em 30 e 31 de dezembro de 1958, as vitórias revolucionárias assustaram Batista, que fugiu de Cuba e foi para a República Dominicana. Aos 32 anos, Fidel conseguiu o controle do país.
Reforma para o comunismo
Um novo governo foi criado, e Fidel assumiu como primeiro-ministro em 1959, após a renúncia de Jose Miro Cardona. Nesta época, foram iniciadas as relações com a então União Soviética.
O líder passou então a sua reforma para o comunismo. Em 1960, Fidel nacionalizou a indústria açucareira de Cuba, sem pagar indenizações. Três anos depois ele estatizaria as fazendas, ampliando a reforma agrária.
Em 1961, o governo proclamou seu status socialista. Houve uma fuga em massa dos ricos do país para Miami, nos Estados Unidos, que rompem as relações diplomáticas com Cuba.
Crise com os EUA
Em abril, Castro formalizou Cuba como um estado socialista. No dia seguinte, cerca de 1,3 mil exilados cubanos apoiados pela CIA atacaram a ilha pela Baía dos Porcos, em uma tentativa de derrubar o governo.
O ataque foi um fracasso – centenas de pessoas foram mortas e quase mil capturadas. Os EUA negaram seu envolvimento, mas revelaram que os exilados foram treinados pela CIA. Décadas depois, o país confirmou que a ação vinha sendo planejada desde 1959.
O incidente fez Castro consolidar seu poder. Em maio do mesmo ano, ele anunciou o fim das eleições democráticas no país e denunciou o imperialismo americano. Che Guevara assumiu o Ministério da Indústria.
Em 1962, os EUA ordenaram o bloqueio econômico total à ilha, isolando o regime, uma política que se seguiu até a atualidade.
Fidel passou a intensificar sua relação com a União Soviética, aceitando financiamento e ajudas militares. Em outubro de 1962, o país concebeu a ideia de implantar misseis nucleares em Cuba, gerando uma crise com os EUA e quase uma guerra nuclear.
Dias depois, o premiê soviético concordou em remover os mísseis com o comprometimento americano de não invadir Cuba. Castro foi deixado de lado nas negociações.
Governo
Em 1965, Che deixa o país para expandir a revolução. Dois anos depois, ele foi assassinado na Bolívia, deixando Fidel como único rosto da revolução.
Ainda em 1965, Fidel se posicionou como líder do Partido Comunista cubano. Pouco a pouco, ele começou uma campanha para apoiar a luta armada contra o imperialismo na América Latina e na África.



fidel castro_JH (Foto: TV Globo)fidel castro_JH (Foto: TV Globo)
Apesar do comprometimento dos EUA de não invadir a ilha, houve ataques de outras formas, como o bloqueio econômico e centenas de tentativas de assassinato contra Fidel ao longo dos anos. Fidel chegou a dizer que se escapar de tentativas de assassinato fosse um esporte olímpico, ele teria ganhado medalhas de ouro.
Durante seu governo, Fidel investiu na educação – foram criadas cerca de 10 mil novas escolas, e a alfabetização atingiu 98% da população. Os cubanos têm um sistema de saúde universal, que reduziu a mortalidade infantil para 11 a cada mil nascidos vivos.
Execuções e prisões
Entretanto, as liberdades civis foram confiscadas. Sindicatos perderam o direito de realizar greves, jornais independentes foram fechados e instituições religiosas perseguidas. Castro removeu seus opositores com execuções e prisões, além do exílio forçado.
Centenas de milhares de cubanos fugiram do país ao longo das décadas, muitos seguindo para a Flórida, bastante próxima da costa da ilha. A maior saída ocorreu em 1980, quando o governo anunciou a autorização de saída, e 125 mil pessoas deixaram Cuba – 15 mil delas se jogaram ao mar amarradas e canoas, pneus e botes.
Em 1986, instituições de defesa dos direitos humanos realizaram em Paris o “Tribunal de Cuba”, onde ex-prisioneiros da ditadura deram seu testemunho. Entidades calculam que cerca de 12 mil pessoas morreram nas mãos do governo.
Em 1989, com a queda do muro de Berlin, a União Soviética retira seus 7 mil militares da ilha e acaba com a ajuda comercial à Cuba.
Em 1996, Cuba bombardeia dois aviões civis pilotados por exilados cubanos em Miami, retomando as tensões com os EUA. No ano seguinte, Fidel apontou seu irmão, Raúl, como seu sucessor.
Em 2002, os EUA criam uma prisão para suspeitos de terrorismo em uma base militar Guantánamo, no território cubano. O então presidente George W. Bush inclui o país na lista dos que apoiam o terrorismo.
Segredos
Desde que caiu doente e entregou o poder provisoriamente a Raúl, Fidel deixou claro que sua doença era um assunto delicado e não um assunto de domínio público.
"Devido aos planos do império (EUA), meu estado de saúde se converte em um segredo de Estado a respeito do qual não se pode ficar constantemente divulgando informações", afirmou.
O ex-presidente de Cuba, Fidel Castro, ergue o braço do irmão e atual mandatário, Raul Castro, enquanto os dois cantam o hino do socialismo internacional durante o 6º Congresso do Partido Comunista, em Havana. (Foto: AP)
Os segredos em torno do ex-dirigente são guardados com tanto afinco que não se conhecia nem mesmo o local onde Fidel se recuperava. Conta-se que, durante anos, Fidel jamais dormiu duas noites no mesmo lugar.
Ele circulava por Cuba em uma caravana com três carros Mercedes Benz pretos idênticos, e a presença dele nas cúpulas realizadas no exterior nunca está 100% confirmada antes de sua chegada.
Até a ideologia comunista dele foi objeto de mistério nos primeiros anos da revolução.
Diferentemente de outros líderes mundiais, a vida privada de Fidel não comparece aos jornais.
O único dos filhos dele que ocupou um cargo público é Fidel Castro Diaz-Balart, o "Fidelito", um engenheiro nuclear que trabalhou como assessor científico do Conselho de Estado.
Fidel nunca abandonou suas ideias sobre estratégia militar. Em 1953, quando organizou o ataque contra o quartel Moncada, em Santiago de Cuba, sua primeira e desastrosa ação militar, quase todos os seus companheiros só ficaram sabendo do objetivo da investida no último minuto.


Cronologia Fidel Castro V3 (Foto: Editoria de Arte/G1)Cronologia Fidel Castro V3 (Foto: Editoria de Arte/G1)

tópicos:
veja também
fonte: g1.globo 

...            Пост! 
o ooOAdicione sua URL no Google, e apareça nas buscas





... .:.
Gostando do artigo, deixe sua idéia! Que tal? Comentem sobre o artigo, suas opiniões, as quais são importantes para nosso site! - Tirem suas dúvidas através de contato ou através de: nosso formulário de comentários aqui!!! Att. Equipe mensagensdiversificadas.com.br
Read More

mensagens

Post Top Ad

Your Ad Spot